Dicas para desenvolvimento de Wireframes (by Richard Barros)

Olá você!

Encontrei umas dicas muito legais sobre a criação de Wireframes escrita por Richard Barros e queria compartilhar.

O que acho mais interessante sobre os Wireframes é podermos identificar antes da prodição do layout erros na usabilidade ou a falta de algum requisito importante.

Fora isso, o Wireframe ajuda na organização do desenvolvimento e agiliza o lado do designer.

Veja a matéria do Richard Barros:

 

No planejamento de uma interface, o profissional de arquitetura de informação precisa fazer alguns testes até chegar a um modelo estrutural para ser usado como base. Este modelo é conhecido como Wireframe.

 

Wireframe é um rascunho com marcações de peso e posicionamento do conteúdo de uma interface. Ele será usado posteriormente pelo designer como guia para desenvolvimento do layout final do website, sistema ou aplicativo.

Ainda vejo muitos profissionais com receio de usar wireframes e alegam que o cliente não entende ou que o trabalho demora mais, mas eu acredito que é uma etapa primordial na criação de uma interface e portanto, levantei alguns pontos que podem ajudar novos profissionais a entender ou incorporar com naturalidade o desenvolvimento desses esboços.

 

Nunca pule a etapa do wireframe.

 

Passar pela etapa de wireframe não é trabalhoso e é essencial para o progresso do projeto. Criar um esboço e pensar na navegação antes de ter um layout desenhado pode fazer com que perceba algum erro de usabilidade ou algum bloco de conteúdo que não está sendo exibido com o devido destaque. É muito melhor perceber essas coisas antes, né?

 

Não tenha medo.

 

Arquitetos de informação não são necessariamente designers, mas não saber desenhar não significa que tenha que ter medo de criar wireframes. Supere esse medo e expresse suas ideias no esboço de alguma forma. Desenvolver wireframe é como projetar seu website em voz alta.

 

Papel e caneta.

 

Não é porque a interface é digital que todo o processo deve acontecer dentro do computador. Pegue papel e caneta e rabisque muito. Coloque todas as ideias no papel. Você pode recortar pedaços de papel ou usar post-its para reposicionar os blocos de conteúdo com maior facilidade, é uma baita mão na roda.

 

Teste seu wireframe.

Questione cada interação do seu wireframe. Imagine um usuário específico tentando acessar aquela interface e peça opiniões de outras pessoas da equipe que não participaram diretamente da elaboração dos esboços (por que não incluir o cliente nessa também?). Essa discussão pode levantar pontos importantes que você deixou passar em um primeiro momento.

Inspire-se.

Procure por novos wireframes, compartilhe ideias com amigos que não trabalham com você. Visite sites de referência como o I <3 Wireframes ou até o Flickr.

Existe ainda um projeto chamado Paper Browser, que é um modelo de navegador web com um canvas milimetrado para você imprimir e poder desenhar em cima facilmente. Eu recomendo!

Ferramentas.

Embora eu ainda use o Photoshop para meus wireframes, há quem use programas não muito convencionais, como o Flash. Mas existe também uma grande variedade de ferramentas para auxiliar no desenvolvimento de wireframes que você pode escolher. E a lista não é pequena:

Ferramentas para Desktop (freeware em negrito)

Ferramentas Online

Autor: Frederico de Castro

Diretor de tecnologia da Surreal Group, formado em sistemas de informação, com experiência em desenvolvimento web e desktop desde 2006, gosta de tudo relacionado à tecnologia e automação no ambiente web.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *