Habilitando o mod_rewrite no apache

Habilitar o modo rewrite é essencial para que o seu wordpress ou qualquer outro site funcione com a URL amigável.

Por exemplo, um wordpress sem a URL amigável ficaria assim:

www.seusite.com.br/?p=123

E com a URL amigável seria:

www.seusite.com.br/viajens

Isso além de ser melhor para o usuário, também ajuda muito na indexação do Google e outros mecanismos de buscas.

Então, mãos à obra!

Antes de tudo temos que ter permissão de administrador no linux.

Para isso, digite no terminal o seguinte comando:

sudo su

Então confirme sua senha e pronto.

Vamos agora, verificar se ele está instalado.

Se você instalou o apache2 pelo meu tutorial então você já tem esse módulo, mas vamos verificar mesmo assim.

Utilize o seguinte comando:

ls /usr/lib/apache2/modules/mod_rewrite.so

Se o arquivo existir, o nome dele será impresso logo abaixo do seu comando executado.

Se não existir dará uma mensagem que o arquivo não pode ser encontrado.

Mais ou menos assim:

ls: cannot access /usr/lib/apache2/modules/mod_rewrite.so1: No such file or directory

Habilitando o modo rewrite no apache2

Agora que sabemos que o módulo existe vamos liga-lo.

Execute o comando:

a2enmod rewrite

Você verá algo semelhante a isso:

Enabling module rewrite.
Run '/etc/init.d/apache2 restart' to activate new configuration!

Isso significa que já está habilitado.

O próximo passo é habilitar o modo rewrite no seu site, pois normalmente vem desativado.

Abra o arquivo 000-default.conf no seu editor de preferência e localize a configuração do site que você deseja ativar.

O arquivo fica em: /etc/apache2/sites-available/000-default.conf

Encontre DocumentRoot /var/www/html

E adicione logo abaixo:

<Directory /var/www/html>
Options Indexes FollowSymLinks
AllowOverride All
Order allow,deny
allow from all
</Directory>

Agora é só reiniciar o apache e tudo estará funcionando.

Execute o seguinte comando no seu terminal:

/etc/init.d/apache2 restart

Instalando um servidor SMTP no Linux (postfix)

O servidor SMTP é o servidor de e-mail.

A instalação do servidor SMTP é muito simples.

No terminal digite:

sudo apt-get install postfix

Quando ele te pedir uma senha você deve definir uma de sua preferência.

Depois disso ele concluirá a instalação.

Para futuras configurações no servidor SMTP apenas digite no terminal:

sudo dpkg-reconfigure postfix

E é isso, agora você já tem o servidor rodando no seu Linux.

Com isso você já poderá enviar e-mails utilizando a função mail() do php.

Se quiser configurar algum programa de e-mail para enviar usando seu servidor você deve configurar o programa para o IP ou domínio da sua máquina e usar a porta 25 que é a padrão.

Viu?! Foi rápido e fácil!

Como Importar e Exportar grandes bancos de dados no MySQL

Quando você não consegue fazer operações como exportar e importar arquivos no banco de dados pelo PHPMyAdmin por causa do tempo limite então o jeito é ir pelo comando mesmo.

No linux você faz isso com esses comandos:

  • Exportar:

mysqldump -uusuario_do_banco -psenha nome_do_banco > nomedoarquivo.sql

  • Importar:

mysql -uusuario_do_banco -psenha nome_do_banco < nomedoarquivo.sql

No WINDOWS os comandos são iguais, porém você precisa estar na pasta bin do seu mysql.

Caso use o EasyPHP por exemplo você precisa estar em C:\EasyPHP\mysql\bin\ quando usar o comando.

Permissão de arquivos (CHMOD)

Todo arquivo ou pasta tem seu conteúdo e seu nome visível para qualquer usuário.

Mas além disso eles tem um dono e permissões de arquivos que podem ser vistos nas propriedades do arquivo ou da pasta.

Uma outra forma de visualizar a permissão do arquivo é pelo FTP ou digitando o comando abaixo no terminla do seu Linux:

ls -l

Que teria mais ou menos esse resultado:

-rw-r–r– 1 surrealad surrealad 2267 2011-04-14 18:39 insertLogo.php
drwxr-xr-x 2 surrealad surrealad   69 2011-05-26 14:47 npub/
-rw-r–r– 1 surrealad surrealad 2749 2011-03-09 15:52 pictogramaBranco.png
-rw-r–r– 1 surrealad surrealad 2545 2011-03-09 15:52 pictogramaPreto.png

A primeira, a terceira e a quarta linha são arquivos e a segunda um diretórios. Sabemos disso pela letra d no começo da segunda linha.

Se fossemos ver esses arquivos no FTP eles teriam a permissão 755 para a pasta e 644 para os arquivos.

Isso porque no FTP a permissão é representada em números e no terminal do Linux ou SSH ela é representada em letras.

Essa representação da permissão é dividida em 3 partes que são:

1 – Permissão para o dono ou usuário
2 – Permissão para usuários do mesmo grupo
3 – Permissão para todos os usuários

Cada número (para o FTP) ou letra (para o terminal do Linux ou SSH) significa um tipo de permissão, que são:

0 : — (nenhuma permissão)
1 : –x (somente execução)
2 : -w- (somente escrita)
3 : -wx (escrita e execução)
4 : r– (somente leitura)
5 : r-x (leitura e execução)
6 : rw- (leitura e escrita)
7 : rwx (leitura, escrita e execução)

Algumas vezes, acontece de um usuário colocar permissão 777 para todos os arquivos e pastas de seu site e isso não é seguro.

A permissão 777 só deve ser utilizada em pastas que terão seu conteúdo alterado, como pastas de upload ou de cache por exemplo.

Utilizando de um bom cliente FTP como o FileZilla, você pode “rapidamente” corrigir isso, pois ele te dar a opção de aplicar a mesma permissão às subpastas e/ou arquivos das subpastas.

Já no linux isso é um pouco diferente, embora você possa diferenciar arquivos de pastas pelo comando o CHMOD não pode.

Para isso, você precisará da ajuda do comando find e do xargs.

Use este comando para mudar a permissão de todos os arquivos daquela pasta:

find -type f | xargs -i chmod 644 {}

Use esse comando para aplicar a permissão apenas para a pasta e as subpastas:

find -name '*' -type d | xargs -i chmod 755 {}

Basicamente é isso.

Já da pra brincar um pouco ou sair de uma furada.

Instalando o Apache2, PHP5, MariaDB (esqueça o MySQL), PHPMyAdmin no Ubuntu

O que vou ensinar aqui é tudo que você precisa pra montar um Web Server com o Ubuntu.

Estou usando sempre o Ubuntu nos meus tutoriais de Linux porque estou tendo meus primeiros contatos com o Linux agora e o Ubuntu é, se não o mais fácil, um dos mais faceis para os iniciantes.

Outra coisa, esse tutorial começa no terminal, então se nem no terminal você sabe chegar sugiro que dê uma navegada no “menu iniciar do seu Ubuntu.

Preparando o sistema

Primeiro vamos obter as permissões de administrador, que no Linux é conhecido como usuário root.

Para isso digite o comando abaixo e informe sua senha quando ele pedir:

sudo su

Agora vamos fazer um update das listas de aplicativos com o comando:

apt-get update

Em seguida vamos instalar o apache2

apt-get install -y apache2

Agora vamos instalar o PHP5 (PHP5 é a versão. Esse é o php que você conhece)

apt-get install -y php5

É bom instalar também algumas bibliotecas úteis do PHP, pois cedo ou tarde será necessário.

apt-get install -y php5-mhash php5-mcrypt php5-curl php5-cli php5-mysql php5-gd

Agora vamos instalar o MySQL

apt-get install -y mariadb-server mariadb-client

Falta pouco agora.

O Web Server já está basicamente pronto, mas seria bom adicionar um gerenciador para o banco de dados.

Para isso vamos instalar o PHPMyAdmin com o comando:

apt-get install -y phpmyadmin

Agora precisamos que o apache rode o phpmyadmin.

Para isso use o comando:

echo "Include /etc/phpmyadmin/apache.conf" >> /etc/apache2/apache2.conf

Ou se preferir, edite o arquivo com o editor do debian e insira a linha manualmente.

Agora basta reiniciar o apache2 para que tudo esteja pronto para funcionar.

/etc/init.d/apache2 restart

Certo, mas onde está aquela pasta www onde irei jogar os meus .php e fazer meu site?

Inicialmente a pasta fica em:

[code]/var/www/html/[/code]

Em breve farei outro tutorial ensinando como mudar o local padrão da pasta www do apache2.

Abraços.

Talvez você também se interesse por:
Habilitando o mod_rewrite no apache
Instalando e ativando a extensão PHP mCrypt no Ubuntu
Instalando a biblioteca cURL do PHP no Ubuntu

Adicionando suporte ao jQuery no Magento

Neste artigo vou ensinar como adicionar suporte ao jQuery no Magento.

O Magento já possui suporte ao Scriptaculous, porém ele não é de todo perfeito e caso você queira plugins adicionais que utilizem o jQuery como base você vai precisar do jQuery.

Os arquivos necessários para realização dessa tarefa são:

  1. Versão atual do jQuery
  2. Versão atual do Scriptaculous

Você vai reparar que o Magento já possúi o Scriptaculous, porém as versões mais antigas desse script não foram criadas pensando em compatibilidade com outros scripts e dariam conflito com o jQuery caso você não atualize.

Com os scripts nas mãos faça o seguinte:

Atualizando o Scriptaculous

Copie todos os arquivos do Scriptaculous para /js/scriptaculous/ substituindo todos os arquivos existentes.

Adicionando o jQuery

Abra o arquivo /app/design/frontend/default/seuTema/layout/page.xml

Logo abaixo dos outros scripts adicione a seguinte linha:

[code] <action method=”addJs”><script>jquery.js</script></action>[/code]

Ficando assim:

Agora coloque o seu jQuery na pasta /js/ com o nome jquery.js

O caminho completo seria /js/jquery.js

Agora abra o arquivo do jquery e adicione ao final do arquivo a linha:

[code]jQuery.noConflict();[/code]

Ficando assim:

jquery-no-magento-3

 

Agora vá na administração do seu Magento e atualize o cache para que tudo entre em funcionamento.

Pronto, você adicionou o jQuery no seu Magento.

Para utilizar o jQuery dê preferência pela sintaxe:

[code]jQuery(‘objeto’).acao();[/code]

ao invés de

[code]$(‘objeto’).acao();[/code]

É isso.

Abraços.

Sete dicas sobre o layout do seu e-mail marketing

Me enviaram hoje cedo essa dica sobre E-mail Marketing e achei muito boa.

Foi escrita pelo Francisco Lourenço Lopes no portal iMasters.

Não é raro encontrar peças de e-mail marketing muito bem elaboradas do ponto de vista estético. O problema é que a maioria resulta de adaptações de peças de materiais impressos, e isso não funciona!

Neste artigo, são apresentadas sete dicas para se conseguir um retorno melhor, desde que algumas alterações sejam feitas no layout do seu e-mail marketing.

  • Dica 1 – E-mail marketing com uma grande imagem de impacto é legal?

Pode parecer que sim, mas estudos americanos apontam que 74% dos e- mails são recebidos com imagens bloqueadas. Por esse motivo, o layout do seu e-mail marketing não deve ser deve ser apenas uma grande imagem, pois, muito provavelmente, o que seu cliente vai receber é o famoso “x” vermelho com a frase: “Clique aqui para exibir a imagem”. Poucas pessoas estão dispostas a clicar para exibir uma imagem de algo que não sabem do que se trata. Esse é o primeiro passo para aumentar a produtividade do seu e-mail.

  • Dica 2 – Vamos usar o que há demais moderno na versão do Html?

Hoje, a tendência é querer ter acesso ao que há de mais moderno quando o assunto é tecnologia. Mas vamos pensar que o seu e-mail será enviado para diferentes pessoas, que usam diferentes plataformas de envio e recebimento de mensagens.

Considerando que os programas de e-mail são muitos (diversas versões de Outlook, Eudora, Thunderbird, Apple Mail etc.) e que os Web Mails como (Gmail, Yahoo, Hotmail, Uol, Bol etc.) também existem em uma quantidade enorme, o seu código html deve ser o mais básico possível, de modo a evitar incompatibilidade com qualquer das plataformas citadas acima, fazendo com que o seu layout não sofra alterações indesejáveis.

  • Dica 3 – A página ímpar do seu html.

Assim como as outras mídias, o e-mail marketing tem suas peculiariedades. Se em uma revista ou em um jornal a página ímpar (a da direita) é a mais desejada porque tem um número maior de visualizações, no e-mail marketing também temos a área para a qual a maioria das pessoas direciona o olhar.

A maioria dos usuários utiliza a organização das plataformas de e-mail da seguinte maneira: cabeçalho, pastas, mensagens e o painel de leitura. O painel de leitura é a área de 3 cm a 5 cm que o usuário irá ver do e-mail recebido, sem abri-lo. Essa é a sua página ímpar, o horário nobre do seu e-mail marketing. Evite colocar um logo enorme da sua empresa nessa região, uma vez que essa informação já estará presente no remetente da mensagem. Utilize essa área para passar a mensagem mais importante do seu e-mail e também para convencer o usuário a visualizar o resto.

  • Dica 4 – Como colocar as imagens no corpo do seu e-mail?

Como visto na primeira dica, as imagens geralmente não são mostradas para o usuário. Isso não significa que você não deva colocá-las. O que deve ser feito é construir um layout que seja compreensível e agradável, mesmo sem a exibição delas.

Muitas pessoas usam a imagem colada ao corpo do e-mail, mas isso deve ser evitado, pois diminui a performance da sua entrega, uma vez que aumenta muito o tamanho do e-mail. Além disso, corre-se o risco de o seu e-mail ser enquadrado como spam. A melhor prática é hospedar suas imagens em um servidor na web e inseri-la como código em seu html.

  • Dica 5 – Onde usar seus links no seu layout?

Muitas pessoas usam os links apenas nas imagens, o que é um erro. Como as imagens nem sempre são exibidas, a melhor maneira é colocar o link no corpo do e-mail, através de botões em html que servem como iscas, ou ainda, simplesmente, colocá-los em formato de texto.

No ramo imobiliário, por exemplo, o botão valores é o campeão de índice de cliques, uma vez que as pessoas estão interessadas em saber quais são os preços dos imóveis à venda.

  • Dica 6 – Descreva suas imagens

Já que as imagens nem sempre são mostradas, há uma forma de tentar chamar a atenção do usuário colocando uma descrição interessante para estimular as pessoas a exibi-las. Existe um atributo da tag IMG chamado “alt”. O uso desse atributo no código html fará mostrar ao lado do inconveniente “x” vermelho o descritivo dessa imagem, aumentando a probabilidade de abertura.

  • Dica 7 – Pirotecnia no layout

Alguns profissionais de design insistem em mostrar suas habilidades criando flashs, ou gifs animados que são visualmente atrativos aos olhos de qualquer ser humano. O problema é que, na era html 4 em que vivemos hoje, eles não são exibidos em todas as plataformas. Portanto, o uso de flash, gifs, formulário de contatos, anexos etc não deve ser incorporados ao seu layout. Preocupe-se em fazer um layout agradável, de fácil entendimento e relevante para o assunto de seu e-mail marketing, mas, ao mesmo tempo, utilizando apenas códigos básicos de HTML.

Compactando/Descompactando arquivos no linux pelo terminal

Compactar e descompactar aquivos no linux pelo terminal pod ser um tanto quanto complicado, não pela complexidade dos comandos, mas pela diversidade deles já que cada tipo de arquivo tem uma forma diferente de fazer isso. Lembrando que se você não tiver alguma desses comandos disponíveis no seu Ubuntu, basta instalar os pacotes com o comando apt-get install, por exemplo pro zip seria:

apt-get install zip

Os comandos são:

  • .zip

Compactando:

zip -r nomedoarquivo.zip nome_do_arquivo_ou_pasta

Descompactando:

unzip nomedoarquivo.zip
  • .rar

Compactando:

rar a -r  nomedoarquivo.rar arquivo1 pasta1 arquivo2 pasta2

Descompactando:

rar x nomedoarquivo.rar
  • .tar

Compactando:

tar -zcvf nomedoarquivo.tar arquivo1 pasta1 arquivo2 pasta2

Descompactando:

tar -xvf nomedoarquivo.tar
  • .tar.gz

Compactando:

tar -czfv nomedoarquivo.tar.gz pasta1 arquivo1 pasta2 arquivo2

Descompactando:

tar -vzxf nomedoarquivo.tar.gz
  • .tar.bz2

Compactando:

tar -cjfv nomedoarquivo.tar.bz2 arquivo1 pasta1 arquivo2 pasta2

Descompactando:

tar -jxvf nomedoarquivo.tar.bz2

Pesquisa de Satisfação Sinvepes

Da necessidade de de saber o pensamento do cliente a Sinvepes precisou criar uma pesquisa e contratou os serviços da SurrealAD. Bom, indo ao que interessa: este pequeno módulo adicionado ao site da Sinvepes armazena os dados que o cliente respondeu no banco de dados da Sinvepes. Os resultados do teste são visualizados do sistema de gerênciamento de conteúdo (CMS) do site.

  • Tecnologias aplicadas

PHP, MySQL, JavaScript

  • Ano de publicação

2011

  • Endereço

http://www.sinvepes.org.br/pesquisa

  • Storyboard

A DreamHost foi vendida

Quando li quase não acreditei. Gosto tanto do serviço da DreamHost que fiquei com medo da qualidade do serviço não ser mais a mesma. Mas vamos esperar que sim né?

Recebi o newletter da DreamHost hoje em meu e-mail e um trexo falava sobre a mudança de dono. Agora quem comanda é a EIG (Endurance International Group). A EIG é na verdade um grupo de Web Hosts. A DreamHost afirmou que a qualidade vai continuar a mesma.

Uma das mudanças já anunciadas na news é que o painel de controle como o conhecemos irá mudar para o famoso cPanel.

Veja a notícia original:

Meet Our New Owners, EIG

Oh those drapes? Yes, as a matter of fact they are quite new. And they do match the carpets now, thank you for noticing! Our new owners insisted on them.

You see, we’ve recently been acquired by the Endurance International Group, a conglomerate of many different web hosting brands. They assure us that nothing about our service will change, but they have recently made some changes to the decor.

And indeed some aspects of our hosting services will be changing as well.

Our in-house technical support team is being moved onto other projects within the company as we prepare to transition to a more cost-effective offshore support platform.

Perhaps the most visible change to you, the customer, is that we’ll be retiring our control panel in favor of the industry-leading cPanel administration system.

You can read more details of the acquisition on our blog: EIG acquires DreamHost!

Ah, é piadinha de primeiro de abril. A DreamHost não foi exatamente vendida e sim, se juntou ao grupo EIG que tem 37 web host.

Espero que com isso a qualidade só melhore.

Melhorando o desempenho com o uso de Cache

Antigamente os sites eram mais estáticos, poucos deles apresentavam conteúdo dinâmico vindo de um banco de dados.

Mas hoje, é dificil ver um site estático e com isso a preocupação com o desempenho que antes era um luxo hoje é um requisito muito importante.

Pensando nisso, foram criados vários scripts de cache e o que vou apresentar hoje é o Cache Lite (PHP).

Download do Cache Lite

 <?php

// Inclui a classe Cache Lite
require_once("Lite.php");

// Seta um nome para o cache
$id = "nosso_cache";

// Seta as configurações
$options = array(
cacheDir" => "cache/",
"lifeTime" => 50
);

// Instancia o objeto Cache Lite
$objCache = new Cache_Lite($options);

// Teste se já existe um Cache válido
if ($quote = $objCache->get($id))
{
// Se existe ele exibe o conteudo que estava no cache
echo $quote;

// Adiciona no fim do conteúdo um indicador que veio do cache (só para exemplo)
echo " [cached]";
}
else
{
// Se ainda não existe um cache para esse conteudo, devemos criar o conteúdo, exibi-lo e depois armazena-lo no cache para que a próxima consulta não seja criada e sim retornada do cache

//Criamos o resultado
$quote = "Aprendendo como utilizar o cache";

//Exibimos o resultado
echo $quote;

//Armazenamos no cache
$objCache->save($quote, $id);
}

?> 

O resultado se o cache não existir seria:

Aprendendo como utilizar o cache

E se ele existir seria

Aprendendo como utilizar o cache [cached]

Dessa forma, ele só criará o resultado final se ainda não existir em cache e também se não estiver com a validade vencida. Leia sobre o lifetime na legenda no final do artigo.

Mas esse exemplo foi de uma simples frase, e como seria para um conteúdo vindo do banco de dados?

Simples:

<?php

// Inclui a classe Cache Lite
require_once("Lite.php");

// Seta um nome para o cache
$id = "nosso_cache";

// Seta as configurações
$options = array(
cacheDir" => "cache/",
"lifeTime" => 50
);

// Instancia o objeto Cache Lite
$objCache = new Cache_Lite($options);

// Teste se já existe um Cache válido
if ($quote = $objCache->get($id))
{
// Se existe ele exibe o conteudo que estava no cache
echo $quote;

// Adiciona no fim do conteúdo um indicador que veio do cache (só para exemplo)
echo " [cached]";
}
else
{
//esta função vai armazenar o resultado que vai pra tela do usuário
ob_start();

?>
<html>
<head></head>
<body>
Aprendendo como utilizar o <i>cache</i>
</body>
</html>
<?php

// terminou de gerar a página

// obtem o conteúdo que foi armazenado
$conteudo = ob_get_contents();

// salva o conteudo
$objCache->save($conteudo, $id);

// exibe o conteudo na tela do usuário
ob_end_flush();
}

?>

Viu  como é simples?

Legenda:

  • cacheDir :: pasta onde serão armazenados os arquivos gerados do cache
  • lifetime :: tempo de vida do arquivo de cache em segundos. É necessário para que quando você pergunte se existe um cache válido ele retorne falso quando não existir o arquivo e também quando existir, porém com a validade vencida
  • $id :: utilizei essa variável para armazenar o nome do arquivo do cache. É interessante utilizar essa função em conjunto com a md5() para que o nome do arquivo não contenha caracteres inválidos como a interrogação ? ou barras / que são normais em urls.

Algum erro que eu tenha cometido ou uma sugestão de melhoria avise pelo comentário ok?

Abraços!

Reiniciando o som do Ubuntu sem reiniciar o sistema

As vezes o som do meu Ubuntu pára de funcionar e só volta quando eu reinicio.

Mas isso era antes de eu descobrir esse comando:

sudo alsa force-reload

Execute este comando no seu terminal que o som do seu Ubuntu voltará a funcionar num passe de mágicas.

Migrando o Magento para outro servidor

Diferente do que muitos pensam migrar o Magento é bem tranquilo. Você só precisa se preocupar com algumas coisas.

 

Passos:

  • Preparando os arquivos para Upload

Extraia uma cópia nova do seu Magento em uma pasta, e depois adicione os arquivos dos seus módulos adicionais e traduções, exceto os instalados pelo Magento Connect.

Por exemplo, modulo de pagamento do pagseguro, tema e a tradução para o português do Brasil.

Se você instalou um plugin adicional como um lightbox pelo Magento Connect você deverá instalar de novo quando o Magento estiver online, se fizer upload dele poderá dar problema.

No final você terá: Magento + tradução + módulo de pagamento pagseguro + tema, vamos chamar esse pacote de pacote de upload.

Eu recomendo que você compacte esses arquivos de preferência com o tar.bz2 que pode ser descompactado pelo painel da sua hospedagem.

 

  • Preparando o banco de dados

A parte do banco de dados será uma surpresa pra você, pois é mais fácil do que você imagina.

Simplesmente faça uma exporte o seu banco de dados local completo (dados + estrutura).

Eu não aconcelho compactar ele, pode dar erro de codificação.

Terminamos com o banco de dados.

 

  • Começando a instalação

No seu novo servidor siga esses passos:

  1. Faça upload dos seu pacote de upload e descompacte caso tenha compactado
  2. Crie um banco de dados para o Magento, um usuário com login e senha e relacione esse usuário ao banco de dados
  3. Acesse o banco de dados e importe os dados do seu Magento que você exportou logo acima
  4. Agora acesse o endereço do Magento para começar a instalação
  5. Não se esqueça de dar permissão de escrita nas pastas que o Magento pede
  6. Siga os passos da instalação como de costume e quando pedir a chave de criptografia informe a mesma que você salvou quando instalou o Magento pela primeira vez

 

  • Terminando a migração

Agora você já tem o Magento migrado e funcionando com seu banco de dados completo.

O que falta agora são poucas coisas.

  1. Instale os plugins que você havia instalado no seu Magento local pelo Magento Connect
  2. Faça upload do conteudo da pasta media do seu magento local para o magento online, pode compactar da mesma forma se preferir. A pasta media é responsável pelas fotos dos produtos
  3. Faça o mesmo com a pasta skin sem preocupações. A pasta skin é responsável pelas modificações na aparência do Magento
  4. Agora é a hora de upar suas modificações da pasta app. Nessa hora eu recomendo que você só faça upload dos arquivos que você modificou. Tome cuidado com a pasta app/etc e a app/core, se fizer o upload completo dessas pastas é bem provavel que seu Magento não funcione mais.

 

Pronto, você migrou com sucesso o seu magento.

Todas as modificações que você havia feito no painel administrativo, como configurar formas de pagamento, páginas cms, catalogos e produtos estarão todos na sua loja que agora é online.

Não atropele os passos, faça exatamente como eu fiz aqui, pois eu fiz desse jeito e deu certo pra mim então dará para você também.

Boa sorte!

As minhas metas

Sempre que eu estiver com um tutorial em mente avisarei na home os próximos tutoriais.

Minha intenção não é tornar o blog um site de notícias nem prender ninguém. Aquelas metas são pra mim mesmo. Para que eu não esqueça ou não tenha preguiça.

Vou sempre postar um novo tutorial quando…

  • for de utilidade pra muita gente
  • for eu corrigir um problema dificil
  • for cultura
  • for engraçado

Nos vemos por ai! ^^

Quantidade de novos produtos na home

Uma das minhas primeiras dores de cabeça com essa primeira loja virtual que estou montando foi como alterar a quantidade de produtos novos exibidos na home.

Para isso abra o arquivo: app/code/core/Mage/Catalog/Block/Product/New.php

E altere a constante abaixo para o valor que preferir.

const DEFAULT_PRODUCTS_COUNT = 5;

    É simples assim.

    Inaugurando o site

    Pensei em criar este site com o propósito de divulgar meus trabalhos. Mais tarde senti uma nova necessidade que também poderia ser suprida pelo site: um armazem de how to do que eu aprendo.

    Sendo assim, vou utilizar este site não só para divulgar o que faço, mas também para passar meu conhecimento pra frente. Com isso espero ganhar amigos com os mesmos interesses.

    Atualmente tenho conhecimento de C#, Java, CSS, HTML, javascript, jQuery, um pouco de AS2 e AS3. Estou neste momento montando os novos sites das empresas Sorvedoces e Informatiza Brasil. Os sites dos links são os atuais, os novos, porém, podem ser vistor nessas duas thumbs:

    O site da Informatiza está sendo o maior desafio, pois nunca mexi com Magento eCommerce. O da Sorvedoces só não ficou pronto ainda porque os clientes ainda não disponibilizaram as informações que serão cadastradas no site, só estou dependendo disso.

    Bom, é isso, site inaugurado.

    Exibindo produtos na home do Magento

    Tenho certeza que a primeira coisa que você quis foi exibir produtos na home do Magento.

    Para isso basta ir em: admin>cms>páginas>home

    E em conteúdo adicionar:

    {{block type="catalog/product_new" name="home.catalog.product.new" alias="product_homepage" template="catalog/product/new.phtml"}}
    

    ou

    {{block type="catalog/product_list" name="home.catalog.product.list" alias="products_homepage" template="catalog/product/list.phtml"}}
    

    ou

    {{block type="catalog/product_list" name="home.catalog.product.list" alias="products_homepage" category_id="3" template="catalog/product/list.phtml"}}
    

    Esses três código fazem respectivamente:

    • Exibe os novos produtos, aqueles que você marca como novos dentro de uma determinada data.
    • Exibe uma lista com todos os produtos.
    • Exibe uma lista dos produtos de uma determinada categoria, neste caso a categoria de id 3.